Início » Caiado destaca ações para recuperar a economia em Fórum de Desenvolvimento

Caiado destaca ações para recuperar a economia em Fórum de Desenvolvimento

Publicado em 14/10/2021

às 10:27

Governador participou do encerramento da edição 2021 do evento promovido pela Associação Brasileira de Desenvolvimento (ABDE), que teve formato virtual e discutiu a agenda econômica do futuro

 

A GoiásFomento desempenhou papel crucial para que a economia goiana não sofresse um impacto ainda maior por causa da pandemia da Covid-19, ao facilitar o acesso ao crédito por parte dos micro e pequenos empreendedores do Estado. A afirmação é do governador de Goiás, Ronaldo Caiado. Ele foi um dos gestores estaduais que participou, nesta sexta-feira (30/04), do último dia da edição 2021 do Fórum de Desenvolvimento.

 

O evento, promovido no formato virtual, foi realizado pela Associação Brasileira de Desenvolvimento (ABDE), entidade que congrega todos os bancos de desenvolvimento e as 17 agências de fomento do Brasil. O Fórum teve início na última segunda-feira (26/04); e contou com a participação de economistas, instituições internacionais, e dos governadores do Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, São Paulo, Minas Gerais, Piauí, Maranhão e Goiás. Caiado representou a região Centro-Oeste.

 

De acordo com Ronaldo Caiado, Goiás foi o primeiro Estado do País a “começar a agir” para buscar minimizar os impactos negativos da pandemia da Covid-19 na economia local. “Não ficamos de braços cruzados. Rapidamente criamos a Secretaria da Retomada no ano passado, que não tem medido esforços para diminuir os impactos econômicos da pandemia”, afirmou. Ele citou a criação dos programas Mais Empregos e Mais Crédito, cujo principal objetivo é criar empregos e mantê-los.

 

O governador falou sobre o projeto Caravana da Retomada, que estuda a potencialidade de cada região goiana, produz um diagnóstico da situação econômica e social, aponta o que é mais urgente e direciona as ações governamentais. Ele se referiu ainda à parceria público-privada firmada para a fabricação de cerveja, que utiliza a mandioca comprada de agricultores familiares goianos.

 

Acesso ao crédito

O governador de Goiás ressaltou a atuação da GoiáFomento, ao longo da pandemia, no sentido de apoiar os micro e pequenos empreendedores goianos e facilitar o acesso ao crédito. Informou que, no ano passado, foram disponibilizados R$ 60 milhões para mais de 600 empresas do turismo, um dos setores mais afetados da economia. E com o seguinte detalhe: linhas de crédito especiais para capital de giro para esses empresários, que têm 60 meses de prazo para pagamento e taxa de juros de 5% ao ano mais INPC, além de carência de 12 meses.

 

Também em 2020, a GoiásFomento destinou financiamentos para os micro e pequenos empreendedores. “Meio bilhão de reais foram disponibilizados para que eles pudessem arcar com pagamento de impostos, mão de obra, aluguéis e outros custos fixos”, declarou.

E acrescentou: este ano foram destinados R$ 112 milhões para empréstimos com taxa de juros zero, com o intuito de ajudar os micro e pequenos empresários goianos nesta segunda onda da pandemia. Os atendidos têm 6 meses de carência e até 36 meses de prazo para pagamento. A única condição é que nenhum funcionário seja demitido.

 

“Esta é apenas uma das ações do nosso Programa Estadual de Apoio ao Empreendedor, que facilita ao máximo o acesso às linhas de crédito, deixando de lado a burocracia”, afirmou. Como resultado dessas ações, Caiado informou que em 2020 mais de 26 mil novas empresas foram abertas em Goiás, o maior número dos últimos cinco anos de acordo com balanço da Junta Comercial do Estado (Juceg).

 

Agronegócio

O governador apontou ainda a força do agronegócio goiano, a economia verde e a preocupação com a sustentabilidade, e a nova lei estadual ambiental, que é “mais arrojada”. Concluiu, citando estudo do Instituto de Pesquisa Focus, segundo o qual a estimativa de crescimento da economia do Brasil para 2021 é de 3,2%, enquanto a de Goiás deve crescer 4,5% no mesmo período. Para 2022, a economia brasileira deve crescer 2,3%, e a goiana avançar 3,5%. ”O momento não é fácil, mas vamos recuperar a economia goiana e dar a ela um lugar de maior destaque, temos certeza de que isso vai se concretizar”, concluiu.

 

Agência de Fomento de GoiásFomento (GoiásFomento)-Governo de Goiás

Compartilhe essa notícia!

Leia também:

Ir ao Topo